quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Seus consumidores falam com você, ou de você?

Há um dito popular que tem sido válido em muitos aspectos. Ele diz: "Falem bem, ou falem mal, mas falem de mim!"
Será que isso vale para os negócios?
Pior ainda, é que, muitas empresas nem sabem o que andam falando sobre ela. Possibilidades não faltam.
Muitas empresas se dizem "ouvidoras" de seus mercados. Disponibilizam joguinhos, propostas de sustentabilidade perante seus programas sociais etc. Daí "é só aguardar passivamente que os consumidores encontrem essas informações".
Daí, medem-se a audiência da proposta (visitas). E...?!?!?
O que traz de resultado efetivo, em termos de melhoria de relacionamento, posicionamento, mercado, imagem, produtos?
Quando é para piorar, temos que lidar com o baixo nível de usabilidade de seus sites, que é medonho.
Os mecanismos disponíveis para "aumentar o volume" da voz dos consumidores são vários, porém, como vemos, muitos nem são sequer conhecidos. Oportunidades são perdidas.
As Comunidades de Marca são uma realidade tão perceptível que não há como deixar de ouví-las. Não estamos em situação de perder oportunidades. Mas quem as ouve?
Entre as mudanças vigentes nos mercados (em termos de comportamentos de consumidores, principalmente), poucas nos dão tanta nitidez para percepção de oportunidades.
Se sua empresa, realmente, quer dar voz ao seus consumidores, quer conhecê-los melhor, e, ouví-los com objetivo de melhorar suas ofertas ao mercado, não deixe de acompanhar o que eles falam a seu respeito. Algumas sugestões para aplicar:
- acompanhe o que é falado, monitore e meça a voz de seus consumidores;
- desenvolva um eficiente sistema de coleta, análise e resposta a seus consumidores.
- não prometa se não puder cumprir, portanto, mantenha contato em tempo real, se puder gerenciar dessa forma;
Existem empresas especializadas na aplicação e no desenvolvimento de mecanismos de busca, monitoramento e de métricas.
Um exemplo simples é acessar um dos mecanismos citados em posts anteriores. Coloque lá o nome de sua empresa (ou de seu produto) e de seu concorrente. Veja como tem sido citado na internet.
Melhor será, se você desenvolver um programa interno de acompanhamento.
Tenha mais respeito e cuidado com seus consumidores. "Se eles não estão falando com você, eles bem que poderão falar de você - e disseminar tudo pela internet".
Obs: o texto acima foi adaptado de uma news letter da Marketing Profs, de hoje, 26/02/09.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Métricas: mais algumas dicas!

Olhaí.
Gostaria de passar mais duas dicas para que vocês possam buscar métricas sobre presenças na net (marcas, palavras, empresas etc).
A primeira é do Google Trends (www.google.com/trends). Você insere um, ou mais, termos e os resultados (muito rápidos), aparecem por Região, Cidade e Língua. Além de incluir gráficos que demonstram o início, e o percurso no tempo, das "aparições". Muito legal mesmo.
A segundo chama-se GoogleFight (mas não pertence ao Google - ainda): www.googlefight.com Num placar, você insere 2 termos. Dá um clique em "Make a fight" e a busca se inicia. O resultado da busca (luta) aparece em números e gráficos que mostram quantas vezes os termos aparecem na rede, comparativamente um com o outro. Quem aparece mais, ganha a luta, não é?
Você conhece mais algum mecanismo de pesquisa? Manda.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Medindo os comentários na rede

Há um recurso muito interessante, por meio do qual, você pode obter um comparativo sobre a quantas andam os comentários na rede.
Sobre sua marca, sua empresa, seu concorrente... enfim.
Mede sua presença em microblogs, blogs, redes sociais diversas. É o Vitrue (http://vitrue.com/)
Além de números, fornece gráficos ilustrativos.
Visite; eles estão "measuring your online conversation".

O Marketing é para você?

É comum as pessoas temerem algo que desconhecem.
Normalmente precipitamos conclusões e achamos que não somos capazes, ou que determinados recursos não estão ao nosso alcance.
Erro comum, é pensar que "Marketing é só Propaganda", ou "só Vendas". Pior, pensar que "Marketing não é ético" e por isso, não pode ser praticado por empresas e profissionais liberais, como do Setor Saúde, por exemplo.
Na Universidade Metodista de São Paulo, onde leciono, temos permanente preocupação em manter diálogos com a comunidade estudantil, profissional, empreendedora e empresarial.
Durante todo o ano são disponibilizados Cursos de Atualização em diversas áreas.
Gostaria de sugerir dois temas que abordarei nesse semestre:
MARKETING DE SERVIÇOS PARA O SETOR SAÚDE - dia 18/abr/09 (sábado); e
O MARKETING QUE INTERESSA - dias 05/mar/09 e 16/mai/09 (sábado).
Os cursos serão oferecidos no mais novo campus, no bairro do Ipiranga, em São Paulo.
Mais detalhes podem ser obtidos pelo site:
Você é muito bem vindo!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Socializar: isso ainda transformará o mundo!

Lendo as newsletter que recebo de Meio & Mensagem ((MMbymail), acessei a um post do senhor Raphael Vasconcellos, que elabora o "Diário de bordo".
Claro que recomendo a todos e a todas, que leiam o MMbymail, mas, por enquanto, vejam o trabalho do Akoha, um game social.
Aqui, jogar implica em um, conceito de socialização que surpreende. O jogo visa ajudar pessoas na vida real.
Olha só: estamos vivendo uma mudança nos conceitos. Há muita coisa ruim, e muita coisa boa acontecendo ao mesmo tempo.
O que restará - para as próximas gerações - deverá ser algo de bom.
Acessem o link do Akoha e conheça o projeto, além do game:
http://akoha.com/

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Será dada a largada...

Aguardem mais uns vinte e poucos dias e, então, tchan-tchan-tchan-tchan: o país começará a funcionar.
Sei que a expectativa é muito grande. Mas não esquenta, vem aí um carnaval bem brasileiro. Esqueça a crise (que crise?!?).

Mais sinais...

Tenho postado comentários a respeito do boom em andamento, provocado pela disseminação das redes sociais. O problema que está acontecendo é que, em épocas de desaquecimento do consumo, o desespero pode levar à procura de soluções inadequadas, embora pareçam panacéia.
A comunicação com/por meio das redes sociais, ainda que possa ser apontada como um caminho consistente para posicionamento e manutenção da imagem, também pode ser mau interpretada em sua forma. Aqui o risco de obter um resultado totalmente inverso ao esperado, é muito grande. Um artigo muito interessante mostra "os 25 sinais para você identificar se tem um competente consultor de mídias sociais ou um aventureiro" pode ser acessado no link indicado (http://www.theharteofmarketing.com/2009/01/25-signs-youve-got-a-strong-sm-consultant-or-agency.html) de autoria de Geoff Livingston e Beth Harte - em inglês.
Vai investir em mídias sociais? Leia o artigo, antes.
Loading...